Pai pede ajuda para encontrar filha desaparecida há um ano

Um comerciante santista de 41 anos está passando por um período de angústia sem fim. Dikran Djrdrjan está há um ano procurando a filha, Katherine, de 4 anos, que sumiu junto com a mãe, após perda de guarda.

De acordo com Dikran, a história começou em janeiro de 2013, quando conheceu a ex-esposa. Depois de cinco meses de relacionamento, recebeu a notícia que seria pai. “Durante a gravidez, ouvi relatos do falecimento do irmão dela 10 anos antes de nos conhecermos, por uma doença chamada Miopatia Mitocondrial. Ela disse que precisava ser acompanhada por um especialista, o que não ocorreu. Na data do nascimento da neném, a família materna me pediu que assinasse uma autorização de não vacinação da Katherine porque precisava ser avaliada pelo mesmo especialista. Como não sabia muito, acabei concordando e, posteriormente, não só não a levaram ao médico, como também começaram a não permitir que eu visitasse ou saísse com ela de casa, já que ela não era vacinada”, relatou.

A situação se complicou por volta de quatro meses depois do nascimento. Conforme o comerciante, ele tentou convencer a mulher a ir em uma clínica para vacinar, entretanto, a resposta foi negativa. “Ela fez um escândalo, dizia que iriam matar a criança, pois ninguém sabia a consequência desta doença e falou várias vezes sobre o irmão”, contou.

Com os comportamentos insustentáveis por parte da ex-esposa, Dikran afirma não ter tido outra opção senão sair de casa. A primeira coisa que fez foi buscar os direitos como pai através de um advogado. “Quando o processo começou, fui acusado de tudo. De agressão à Katherine, à mãe e à avó. Fizeram isso para que as visitas fossem suspensas. A juíza nomeou uma psicóloga para acompanhar o caso e solicitou o exame que comprovava a isenção das vacinas, entretanto o documento não foi recebido. Uma nova determinação foi feita, dessa vez, para que o exame (Exoma genético) fosse colhido em perícia dentro do fórum. A mãe sumiu junto com a minha filha. Não foi encontrada em nenhum endereço”, lembrou.

A atitude faz o Tribunal de Justiça inverter a guarda a favor de Dikran e foi iniciada uma busca por Katherine. Conforme a advogada Luciana Almeida, que acompanha o caso de perto defendendo o santista, quando a criança for localizada, deverá ser entregue ao pai e a mãe poderá ser punida cível e criminalmente.

Qualquer pessoa que tiver informações sobre Katherine, pode entrar em contato via 13 99793-5067

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Notícias Relacionadas