Animais marinhos são encontrados com objetos presos aos corpos

O Instituto Biopesca divulgou hoje (02) que, em menos de uma semana, dois anos animais foram resgatados com objetos presos em seus corpos. Uma tartaruga-cabeçuda e uma gaivota.

O caso mais recente é o da tartaruga, que foi encontrada no dia 18 de junho, em uma praia de Mongaguá, com uma corda presa na boca por um fio grosso que se estendia até seu trato gastrointestinal. “Esse impacto causou a morte, já que a impediu de se alimentar. Além disso, como não conseguia mergulhar, ficou exposta a sanguessugas, entre outros problemas”, explica a médica veterinária Isabella Boaventura, do Biopesca.

Uma semana antes, no dia 12 de junho, a organização também resgatou uma gaivota, mas desta vez, em Peruíbe, com apetrechos de pesca enroscados na pata esquerda, já praticamente decepada.

Sobre o Instituto Biopesca ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necrópsia dos animais encontrados mortos. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Notícias Relacionadas